12 - VALE SAGRADO

Outro passeio obrigatório para quem vem a Cuzco é conhecer o Vale Sagrado dos Incas. Sagrado porque nele estavam o rio e as terras férteis, fonte de sua sobrevivência. Neste vale os Incas desenvolveram um complexo sistema de agricultura baseado em andenes (elevações tipo escadarias em que a temperatura variava em até um grau a cada 06 andenes). Segundo nosso guia, também tinham aqui laboratórios para desenvolver produtos,  como as batatas, que  originalmente eram impróprias  ao consumo humano por conterem um veneno fatal, e as pesquisas e experimentos Incas teriam transformado as “papas” em alimento mundialmente utilizado. Neste vale a cultura Inca se mantem de diversas formas, nos alimentos, no artesanato, nas vestimentas dos locais, nos ricos sítios arqueológicos. É  preciso muitos dias para visitar tudo que há para se ver no vale. Em todos os sítios se paga para ter acesso e o custo para o tour de 01 dia é de cerca de R$ 50,00. Em relação à infraestrutura, novamente se sente falta de muitas coisas. Os lugarejos vão se virando para dar conta do número grande de turistas, entre os quais novamente se percebe uma maioria de brasileiros. Entre tantas coisas interessantes no vale está a visita ao povoado de Chinchero, onde as artesãs do lugar recebem os turistas para mostrar como fazem as lãs e conseguem todas aquelas cores magníficas a partir de minerais, plantas encontradas no vale e o uso do sal. Este programa vale a pena fazer.  E assim, depois de alguns dias acordando de madrugada e caminhando muito, encerramos o tempo em Cuzco, onde fomos muito bem recebidos e hospedados por Dona Lida (www.hostalquipu.com).  Vamos para a cidade de Puno, a beira do lago Titicaca, para depois chegar a Bolívia.

.