13 - LAGO TITICACA

Este lago de água doce é dividido entre Peru e Bolivia. Os dois pontos principais de saída turística são as cidades de Puno no lado Peruano e Copacabana no lado Boliviano. Em Puno saímos bem cedo em barco para visitar as ilhas flutuantes de um povo chamado “Los Uros”. Estas ilhas são famosas por seus habitantes, seu artesanato e sua forma de construção, toda com o junco do próprio lago. O material é retirado pelas raízes, cortado em blocos e amarrados com estacas e cordas. Com o passar do tempo estas peças se unem naturalmente com o entrelaçamento de novas raízes.  Uma ilha dura aproximadamente 30 anos e hoje elas  são em torno de 50, abrigando famílias numerosas.  Los Uros nos levaram para conhecer o interior de suas casas e ofereceram seu artesanato. Os preços não são exatamente como aqueles que vínhamos encontrando por aqui, mas o trabalho é exclusivo. Destas ilhas avançamos duas horas e meia  lago adentro até outra ilha chamada Taquile. Nela vive uma comunidade com costumes bem especiais, vivem do artesanato e do turismo diário. Assistimos demonstração de dança e almoçamos no local. O cardápio era rico com sopa de legumes como  entrada, truta com arroz e batatas como prato principal e chá de coca para digestão. Preço: R$ 14,00. Esse programa de dia inteiro com barco e guia também tem custo muito interessante: R$ 30,00. Aliás, esta observação é bastante importante: o turismo no Peru tem preços muito atrativos. Com exceção de Machu Picchu, todos os demais passeios foram considerados muito baratos. De mesma forma a comida, levando a inevitável comparação com o Brasil, onde qualquer prato que provamos aqui custaria pelo menos três vezes mais lá.  Assim, encerramos nossa passagem pelo Peru, um país que ainda não conhecíamos, que nos impressionou muito positivamente com suas atrações, seus costumes, seu povo receptivo. Amanhã vamos contornar o lago Titicaca e passar a fronteira para a Bolivia com grande expectativa quanto ao que vamos encontrar.

.