15 - DE ORURO AO UYUNI

A saída de Oruro foi muito demorada porque as informações bastantes desencontradas levaram aos postos de combustíveis ao longo da rodovia de saída que não vendiam gasolina para placa estrangeira. Tivemos que voltar ao centro para abastecer no único posto autorizado pelo governo a atender estrangeiros. E por esta hora a cidade já é um aglomero de carros, gente e barracas a beira da rua que vendem de tudo.  E o início do caminho mais curto para o Salar de Uyuni é asfaltado em bom trecho, depois são mais uns 200 Km de terra não muito bom. Em alguns lugares as chuvas de alguns dias atrás ainda deixaram marcas e não se passa sem o 4x4. Já precisamos fazer uso dele em várias oportunidades, o que nos tirou de grandes apuros nesta viagem. No percurso se passa por dois postos de controle da policia boliviana. No primeiro, em um lugar esquecido por Deus no meio de nada, fomos tratados adequadamente com documentos e informação. No segundo, chegando à cidade de Uyuni, houve taxa de 3 solis para passagem, mas sem nenhum estresse. O povoado é pequeno, fomentado por turistas de todos os cantos. Bem difícil encontrar hospedagem. Ou não são de boas condições ou as raras que existem são bem caras.  Não há estacionamentos e precisamos deixar o carro na casa do dono da agência com quem vamos fazer o passeio de um dia no Salar. Aparenta que tudo está em construção por aqui, fazendo crer que logo tudo estará diferente. A estrada que leva desde Potosi está em adiantadas obras de asfaltamento e vai ajudar efetivamente neste processo. E faz muito frio mesmo nesta época de ano, especialmente à noite.

.