16 de Fevereiro - UM DIA EM PUNTA DEL ESTE

Punta é um lugar de grande beleza natural que se soma a uma infraestrutura pomposa criada por seus habitantes. Além das casas elaboradas, existem grandes hotéis, lugares de compra e de gastronomia. Tudo muito mais caro do que qualquer outro ponto do Uruguai. É preciso descobrir, por exemplo, o mito que cerca o café, vendido mais caro do que o vinho. Também existem feiras de praça e loja de lembrancinhas, mas nada a valores razoáveis. O programa do dia foi conhecer alguns lugares que são símbolos desta região como a Casa Pueblo, no balneário de Punta Ballena, que é uma mistura de residência do seu criador (artista uruguaio Carlos Páez Vilaró), de museo, galeria e hotel. A casa é um labirinto de cômodos que embeleza toda uma encosta e levou quarenta anos para ficar pronta. Paga-se caro para entrar (R$ 10,00 por pessoa), mas o visual é compensador.
As praias das proximidades são de água clara e calma mas muito fria. Mesmo assim, alguns corajosos aventureiros ousaram encarar as águas geladas. E foi inevitável uma “farofinha”.
Na vinda para Punta o grupo ficou sabendo de um encontro de motociclistas que ocorreria no balneário e aproveitou a noite para marcar presença.
Lá estavam muitos brasileiros. Foram muitas poses para fotos, histórias sobre a viagem,  e convites para outros encontros. Em meio a tanta extravagância e máquinas ferozes as motos normais do grupo chamaram a atenção.
No retorno para o hotel uma foto noturna no Las Manos (monumento dos dedos), que é um símbolo do Balneário. Feito por um artista chileno, quer significar, falando singelamente, o homem saindo da natureza.