9 de Fevereiro - PRIMEIRO DIA EM BUENOS AIRES

O primeiro dia em Buenos Aires começou ameaçando uma garoa mas logo foi melhorando e a chuva foi embora. Depois de levar muitas roupas para a lavanderia (não se lavava nada desde a saída), se pode começar o passeio. A opção foi o "subte"(metrô), que tem 5 grandes rotas e uma delas termina na Plaza de Mayo. O custo da viagem era o equivalente a R$ 0,54.
A Plaza de Mayo abrigava certa confusão naquele fevereiro. Haviam barreiras próximo a Casa Rosada e muitas faixas e pixações de protesto. O início do novo governo argentino parecia não estar sendo muito traquilo.
Os principais pontos de visitação do centro da cidade (Catedral, Obelisco, Cabildo, Congresso, Teatro Colon), ao lado dos prédios suntuosos que se erguem grudados uns aos outros nas ruas próximas, é uma visão que impressiona. Deixa evidente o significado histórico do país.
O almoço foi na esquina da Praça da República, de frente para o Obelisco, que marca o ponto onde foi hasteada a bandeira Argentina pela primeira vez. O Teatro Colon estava sendo restaurado e não se pode visitá-lo internamente.
Na tarde a atração foi a Recoleta. Bairro nobre da cidade, de grandes edifícios com sacadas, cafés e mesas espalhadas pelas calçadas ou em qualquer espaço em baixo das árvores. Lá está o famoso cemitério onde estão os restos mortais de Evita Peron.