14/01 - Esquel

Passados os momentos difíceis, com o carro consertado e uma remessa de combustível chegada aos postos, pudemos aproveitar bem o dia.

Cabe ainda explicar que as estradas das quais tanto reclamamos são usadas diariamente pelos argentinos e pelos turistas que andam por aqui.  O carro que usamos, com grande quantidade de peças plásticas na frente e embaixo e alguns outros detalhes construtivos,  resulta  em um conjunto bastante frágil para rodar longe do asfalto. Estamos voltando pra casa com alguns danos, partes amarradas com fita ou presilha plástica e até arame.

 Esquel é uma cidade preparada para atividades de inverno. Seu centro de Ski, La Roya,  é muito equipado e se pode visitar também no verão. O teleférico principal funciona levando as pessoas até o primeiro plano (1200 metros subindo). Lá se pode fazer trechos curtos a pé  e chegar na neve. São poucos pontos, a maior parte dos morros estão descobertos por conta da estação mais quente do ano. Nos despedimos do frio e da neve aqui.

A cidade também oferece opções como parques (há uma hidrelétrica construída no maior deles com circuito totalmente sinalizado e  visitável, inclusive a barragem e o lago), museus, lugarejos pitorescos, áreas de pesca  e passeios de trem (La Trochita, um trem antigo declarado Monumento Histórico Nacional em 1999), entre outros.

São boas as opções de hospedagem e restaurantes e muitas lojas de artigos típicos e presentes. Sentimos falta de vendedores e artesãos com produtos típicos na praça.

Aqui o comércio fecha as treze e só reabre depois das dezesseis.  Um modo de viver estranho mas que parece fazer as pessoas felizes.

Amanhã vamos em direção ao litoral com a esperança de encontrar as baleias mais atrasadas na sua volta pra casa.